Área do cabeçalho
gov.br

Este sítio foi reprojetado para melhor atendê-lo. Acesse já pelo celular e veja mais essa novidade

Portal da UFC Acesso a informação da UFC Ouvidoria Conteúdo disponível em: Português

Universidade Federal do Ceará
Programa de Pós-Graduação em Economia

Área do conteúdo

Opinião: Crítica à gestão de segurança pública do Ceará por Prof. José Raimundo Carvalho

Data de publicação: 13 de agosto de 2018. Categoria: Notícias

O Prof. José Raimundo Carvalho (CAEN/UFC) publicou o texto A Miséria da Segurança Pública no Ceará, seu Protagonismo Homicida e a Farra das Estatísticas Oficiais Falaciosas: “Está tudo como dantes no Quartel de Abrantes em um dos principais portais de notícias jurídicas e de temas regulatórios do país, o Jota (https://www.jota.info/). O Jota possui grande repercussão entre advogados, procuradores, defensores públicos, professores e público em geral.

O texto do professor sintetiza sua crítica a atual conjuntura criminal vigente no Ceará, apontando as origens dos erros, equívocos do “Ceará Pacífico” e consequências da gestão de segurança pública no Estado para o bem-estar da população. O docente ressalta que “As estatísticas e análises apresentadas pelos veículos de imprensa dominantes sugerem que tudo está mudado e que o ímpeto homicida das facções criminosas está sob controle. Ledo engano. Pretendo mostrar que absolutamente nada mudou em relação à situação catastrófica e à profunda crise social trazidas pela atual gestão. Na verdade, o Secretário de Segurança pratica uma verdadeira farra de estatísticas falaciosas para tentar passar uma imagem distorcida da realidade”.

Através de análise estatística e criminal com dados da própria SSPDS/CE, José Raimundo Carvalho conclui que “Ao utilizarmos dados e análises que representam de maneira correta a evolução da política de segurança pública desde 2015, chegamos a quatro legados do governo atual, dos quais três são nefastos: 1) O número de homicídios em Fortaleza baixou apenas levemente (6,69%); 2) O número de homicídios na Região Metropolitana de Fortaleza explodiu (68,44%), 3) Das cinco grandes regiões do interior do Estado, classificadas por AIS (Área Integrada de Segurança) houve aumento considerável no homicídio em três; e 4) O governo só logrou êxito em baixar o número de homicídios em duas regiões do interior.” O Prof. José Raimundo Carvalho foi o Analista Chefe do Setor de Análise Estatística e Criminal da SSPDS/CE no período de 2009 a 2013.

Fonte: Prof. José Raimundo Carvalho (FEAAC/DEA/CAEN/UFC) – fone: 3366.7751

Acessar Ir para o topo